Pr Jodson Gomes – Preguiça – Pv. 24:30 a 34
23 de junho de 2017
Operação Gota leva vacinação a áreas de difícil acesso
29 de junho de 2017

Para a maioria dos jovens, a adolescência, período cheio de mudanças e atribulações, se inicia entre os 10 anos e termina em torno dos 20 anos. Essa fase muita vezes assusta os pais e os deixam sem saber como devem agir.

Esse período também é visto como difícil para os próprios adolescentes, já que há muita oscilação de sentimentos, segurança, inseguranças, autoestima, instabilidade de humor. É normal que os adolescentes oscilem entre comportamentos adultos e infantis, entre o momento de agir com responsabilidade e em outros de modo irresponsável. No entanto, a família deve aprender a se comunicar e a respeitar uns aos outros.

  • Dê total atenção quando seu filho quiser conversar e reserve o momento para ele, não leia, assista TV ou mexa no celular enquanto estiver conversando com ele.
  • Ouça com calma e, mesmo que não concorde, não dê lição de moral.
  • Fale com ele de modo educado, se você agir de modo agressivo com ele, seu filho achará normal ser assim com outras pessoas
  • Evite fazer julgamentos, você não precisa concordar com ele , mas tente entendê-lo.
  • Abra espaço para que seu para que seu filho fale sobre suas ideias , trabalho, sexo, amor e baladas, assim você se saberá o momento de dar ou não credibilidade ao seu filho.
  • Ajude-o a acreditar no seu próprio potencial, ressalte as características positivas o incentive ao esporte, artes, música, dança…
  • Não insista em conversar na hora da raiva, deixe para conversar quando pais e filhos estiverem mais calmos , aproveite o período para pensar na atitude que irão tomar.
  • Não meça forças, os pais devem ser firmes com seus filhos , mas cuidado para que não se perca o respeito.
  • Dê bons exemplos; os adolescentes costumam se espelhar e reproduzir comportamentos.
  • Seja claro. Adolescentes precisam saber exatamente o que se espera deles e que consequência terão se desobedecerem.
  • Seja coerente; se você ignorar um erro de seu filho numa semana e castigá-lo na seguinte por um erro parecido, isso poderá confundi-lo.
  • Seja razoável; mostre flexibilidade por conceder a seu filho mais liberdade, conforme ele merecer.
  • Preocupe-se com o caráter de seu filho, seu objetivo não é apenas fazer seu filho lhe obedecer , mas ajudá-lo a desenvolver uma consciência saudável.

Dê espaço para que seu filho aprenda por sua própria experiência , seus acertos e erros. À medida que os experimenta, aprenderá a assumir mais responsabilidades, intervindo em casos nos quais o adolescente se propõe a fazer algo perigoso ou ilegal. Descreva para ele as vantagens e desvantagens de seus atos e as consequências que poderão ser geradas .

Para finalizar, tente entendê-lo antes de criticá-lo, trate-o da forma como gostaria de ser tratado, procure conversar sempre que possível e aproveite os momentos de lazer para terem as conversas relaxadas. A amizade é a melhor base para o funcionamento da familiar.

 

Por Juliana Muniz Moreira

Psicóloga especialista em Violência Domestica contra Crianças e Adolescentes.

julianamunizm@gmail.com CRP 08/07547

 

X