Brasil é o quarto País no mundo em número de Casamentos Infantis
1 de setembro de 2017
Confira o que abre e fecha no feriado de 7 de setembro em Londrina
6 de setembro de 2017
Exibir tudo

SERÁ QUE PODEMOS AJUDAR?

Não tem como fugir seu filho vai ter fracassos e desapontamentos, e não ache que será só na vida adulta dele já na primeira infância não tem como evitar que seu filho passe por isso, é necessário que ele comece a aprender maneiras construtivas de lidar com a raiva, os conflitos e as frustrações. A maioria das coisas que ele vê nos filmes e na televisão ensina que a violência é a forma de resolver as diferenças. Ele pode então querer resolver as coisas como ele vê.

A sua inclinação pessoal também pode ser a de se manifestar ou se retrair quando estiver chateado. Ele pode não ser capaz de diferenciar os assuntos importantes dos insignificantes. Ele precisa de ajuda para compreender essas mensagens confusas e encontrar maneiras saudáveis e construtivas de expressar seus sentimentos negativos.

A primeira dica é que você inicie lidando com sua própria raiva e infelicidade de forma madura, para que a criança possa aprender com seu exemplo.

Depois, encoraje a criança a trazer para você os problemas que ela não consegue resolver e ajude-a a compreendê-los e resolvê-los. Estabeleça limites claros para que ela compreenda que a violência não é tolerada, mas, ao mesmo tempo, explique que é normal sentir tristeza, raiva, dor ou frustrações.

A dica fundamental é, ouça seu filho antes de mais nada, não negligencie seus sentimentos, isso faz parte da formação do caráter do seu filho. Pense é algo muito importante!