Lição 9 – A Arca da Aliança
27 de maio de 2019
NÃO DECIDA POR CONVENIÊNCIA
1 de junho de 2019

 

Lucas 15.11-24

A Bíblia é categórica ao dizer que algumas vezes nós pedimos e não recebemos porque não soubemos pedir. Porque na perspectiva de Deus, o bom pedido não é apenas aquele que contém as palavras certas, mas o pedido que toca o Seu coração precisa ter mais alguns elementos para que obtenha sucesso.

Parábolas eram histórias ou ilustrações, onde personagens e enredos ilustravam verdades. Era uma estratégia de Jesus para comunicar verdades eternas para um público misto. O capítulo 15 de Lucas pode ser chamado de “capítulo das coisas perdidas”, porque há três coisas perdidas nesse texto: uma ovelha, uma moeda e um filho pródigo.

A perda desse jovem tem um peso diferente comparado às outras duas perdas. Como ser humano, ele era dotado de vontade, de desejo, de iniciativa própria. Ele perdeu-se. Ele decidiu sair e deslocar-se daquele espaço. A história mostra que esse jovem teve um diálogo com o pai. Ele foi fazer um pedido. Como filho, ele tinha direito à herança e pediu aquilo que era dele. Poucos dias depois, ele partiu para um país distante e desperdiçou os seus bens, vivendo desordenadamente.

Dois pontos são tratados aqui: pedido e motivação. Eles estão intrinsecamente ligados. Por trás de um discurso, de uma ação, de uma fala, existe uma motivação. É possível que nem sempre a ação ou o pedido seja correspondente ou tenha a mesma essência do motivo. Por exemplo, podemos fazer uma boa ação, mas com uma motivação errada e ruim.

Todos nós temos pedidos para Deus. O pedido pode ser bom e necessário. Mas Deus quer tratar conosco não apenas o pedido, mas a motivação. Por que ou para quê estamos pedindo isso? O primeiro pedido do filho pródigo teve motivação errada. Todas as vezes que pedimos certo com a motivação errada, podemos até receber, mas não prospera. Longe do pai, o dinheiro uma hora acaba. Prosperidade não é aquilo que recebemos instantaneamente, é ver as bênçãos nos acompanhando de maneira contínua.

O segundo pedido do filho foi pra deixar de ser filho, pois não mais se achava merecedor; um pedido errado, mas com a motivação certa. Ele só queria voltar a morar perto do pai. Todas as vezes que pedimos, ainda que da maneira errada, mas o coração estiver certo, Deus corrige o pedido. O segredo da benção, está em pedir com a motivação certa. Quando, no nosso coração, o desejo for estar perto dEle, Deus nos dá mais do que aquilo que pedimos e precisamos. Não permita que a benção se torne maldição. Não permita que aquilo que você receber de Deus se desgaste. Na casa do Pai há alegria todos os dias. Quando nosso coração está certo, não precisamos ir até Ele. Ele se apressa a vir até nós.

 

Oração: “Pai celestial, corrige minhas motivações. Que o meu coração não esteja com a motivação errada. O maior privilégio é estar próximo de Ti, pois é onde há provisão necessária e em abundância.”

 

 

Jodson Gomes

Pastor da Assembléia de Deus

X