A ALEGRIA VEM PELA MANHÃ
19 de outubro de 2018
Lição 4- Perseverando na Fé
22 de outubro de 2018

 

Jó 14:7-9

Essa passagem narra uma parte da história de um homem que tem uma das biografias registradas de maior vivência de dor e sofrer na história da humanidade. Um homem reto perante Deus e que se desviava do mal, porém vitimado por uma série de acontecimentos pesados e num intervalo de tempo muito curto. Um homem conhecido como o homem mais rico de todo o Oriente, começa a sofrer um abalo nas suas finanças, perdendo várias ovelhas e camelos. Logo após isso, lhe veio a notícia da tragédia que tinha acontecido com sua família, em que os dez filhos morreram soterrados em sua casa. Para piorar, foi acometido por uma doença que era incurável em sua época. Porém, não há no livro de Jó apenas a reportagem do que ele perdeu, mas também consta a maneira com que ele lida com esses problemas. E nesse capítulo, Jó ensina sobre a brevidade da vida humana.

Há esperança para a árvore” foi uma expressão figurada que Jó usou para se tratar do próprio homem. Em várias passagens da Bíblia, o homem que teme a Deus é comparado a uma árvore. O próprio Jesus se compara a uma árvore (Jo 15:1-2).

Jó continua essa frase falando que a árvore estava cortada. Podemos trabalhar com essa linguagem interpretando como o sofrimento de uma árvore. A Bíblia não diz que ela foi arrancada, mas sim que sofreu o golpe do corte. Quem corta, o objetivo é tirar da frente porque está atrapalhando, limpar o espaço. A árvore não tombou. Nem foi removida, pois pra remover, precisa-se de um estudo das condições da raiz para levar para outro lugar. Essa árvore foi cortada, um processo brusco. Experimentar isso é dolorido em qualquer área da vida. Pode ser no divórcio, numa sociedade empresarial, ou em qualquer área. O corte tem um objetivo: ação de ampliação de espaço. Quem corta uma árvore é porque ela está atrapalhando, e porque está tomando um espaço que daria para ser utilizado com outras coisas. Às vezes, sem nós querermos, vamos crescendo e ocupando espaços e sentimos que podemos ser cortados a qualquer momento. Uma coisa é sermos cortados e reaproveitados, porém o versículo 8 diz que “a raiz envelheceu na terra e o tronco morreu no pó”. Muitas vezes sentimos que fomos cortados para nada, e nos vemos aos pedaços, sem ter o que fazer. O coração se torna cada vez mais amargo, assim como raízes envelhecidas. A pessoa se sente solitária, se vendo no chão quando outrora era colocado para cima, assim como tronco tombado no pó.

Entretanto, o versículo 9 nos traz uma verdade. Ele diz que “ao cheiro das águas brotará e lançará ramos como uma planta nova”. A árvore pode se renovar e dar frutos. Quando nos sentimos cortados, Deus nos mostra que, para Ele, é necessário apenas o cheiro das águas para nos renovar e fazer as coisas maiores do que eram. E o tronco envelhecido? Que deixemos de lado, pois ele é capaz de dar ramos novos. Bastou Jó clamar e ser fiel a Deus, que Ele restituiu tudo o quanto tinha.

Pai querido, que assim como Jó, o Senhor possa ouvir meu clamor e colocar em mim ramos novos e que dêem frutos.

 

 

Jodson Gomes

Pastor Assembleia de Deus

X