Filho, olha pra mim!
26 de junho de 2018
Esteja aberto para as mudanças de Deus
28 de junho de 2018

FILHO, OLHA PRA MIM!

Salmos 123

Os Salmos, quando foram escritos, não eram lidos de forma narrativa e sim como cânticos entoados pelo povo de Israel. Agrupados por grupos de Salmos que tratam de momentos específicos, esse Salmo foi entoado em tempo de peregrinação. Por ordem de Deus, o povo deveria ir pelo menos três vezes por ano para Jerusalém para celebrar ao Senhor, principalmente nas festas de Pentecostes (gratidão pela colheita), de Páscoa (gratidão pela libertação) e de Tabernáculos (gratidão pelo cuidado de Deus no deserto).

O Salmo cantado em direção ao destino pode ser chamado de “canção de degraus”, pelo fato da subida não ser contínua, com constantes pausas, dando a ideia de ser uma subida de degraus.

Lendo do versículo 4 ao 1 de maneira contrária:

  1. a) No versículo 4, o salmista fala sobre a alma pesada. Há uma constatação: a minha alma está farta, de zombaria e de desprezo. Algumas vezes, enquanto caminhamos em direção a Deus, nossa alma também pode ficar pesada. Isso é algo que nos abate. A alma busca refúgio no Senhor.
  2. b) No versículo 3, o salmista tem em Deus a sua válvula de escape. Ele pede insistentemente para que Deus tenha misericórdia dele. Nos momentos em que a alma está pesada, precisa haver uma intensificação no clamor. Não devemos nos envergonhar dos motivos de nossa súplica, já que o que nos fere, nem sempre é o que causa dor ao próximo. Devemos clamar ao Senhor, pois, enquanto muitas pessoas podem dizer “Isso não é nada. Passei por coisas bem piores”, Deus diz “Pra mim isso não significa nada, mas como pra você esse problema é grande, eu consigo enxergar o que você sente!”.
  3. c) No versículo 2, o salmista escreve sobre as mãos do Senhor. Os sinais com gestos também comunicam alguma mensagem ao servo. Às vezes, o Senhor não fala com palavras, mas com sinais. Existem situações em que Deus está nos sinalizando, mas não entendemos, porque estamos esperando por palavras. Que possamos compreender muito mais que a voz do Senhor, mas que estejamos conectados aos sinais de Deus para poder tomar as decisões.
  4. d) No versículo 1, o salmista entende para onde deve olhar: para o Senhor. Lendo de baixo pra cima podemos ter outra visão. Na vida é assim. Nós às vezes lemos a vida de cima pra baixo, quando devemos ler debaixo pra cima. Podemos ver o que está acontecendo e então devemos elevar os nossos olhos para Deus. Há muitos problemas aqui na Terra, mas precisamos olhar para Aquele que habita nos céus. Nós questionamos o porquê de não termos nada ou ninguém por perto ajudando, enquanto Deus quer que olhemos para as mãos dEle. Olhando para o Senhor não seremos confundidos, e sim cheios dEle. Pode ser que Ele esteja sinalizando a muito tempo e você ainda não entendeu. Então olhe para o Senhor que é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na hora da angústia.

 

Oração: “Pai querido, alivia minha alma, em Ti está nossa segurança, traz paz ao nosso coração. Que possamos levantar nossos olhares para o Senhor e entendermos os seus sinais. Minha alma às vezes pesa, juntamente com as circunstâncias ao meu redor, mas isso não é importante, pois a Ti que habitas nos céus eu elevo os meus olhos. Olharei para tuas mãos até que se compadeça de nós. Amém.”

 

Pastor Jodson Gomes

Pastor da Assembléia de Deus Londrina

 

X