Chamado a Fazer a Sua Parte
17 de agosto de 2019
COM QUEM ESTAMOS NOS RELACIONANDO
19 de agosto de 2019

Atos 4:32-37, 5:1-5

Esse livro narra a trajetória da Igreja Primitiva. O termo primitivo está ligado ao tempo, à época, eles foram os primeiros cristãos. Os últimos versículos do capítulo 4, mostram como era o dia-a-dia dessa igreja, do ponto de vista não apenas espiritual, mas do ponto de vista de relacionamentos. A Bíblia diz que em cada um deles havia um coração voltado para os outros. De maneira espontânea, começou nessa igreja um movimento: ao venderam os seus bens, as pessoas compartilhavam com quem mais necessitava. Os que tinham mais repartiam com os que tinham menos. Uma das pessoas que, de coração aberto, se envolveu com isso foi José, que recebeu o sobrenome Barnabé.
Porém, os primeiros versículos do capítulo 5 talvez seja um dos textos mais graves sobre a Igreja Primitiva. No templo onde se compartilhava tanta coisa, havia também dois cadáveres, pessoas que morreram diante do altar. Uma delas era Ananias, um homem que vendeu uma propriedade e levou um valor a ser depositado diante dos
discípulos. No entanto, primeiro ele separou uma parte para si, e depois entregou o restante, mentindo como se aquele fosse o valor total da oferta. A morte de Ananias não é uma questão financeira. O problema é que Ananias quebrou
um princípio: a integralidade. Ananias trouxe o parcial e não o integral. Ele não precisava, mas inventou de trazer sua oferta dentro de um pacote, chamado mentira.
Mas o Espírito de Deus revela o erro, porque ninguém consegue se esconder dEle. E o erro de Ananias trouxe uma consequência: a morte. O instrumento usado por Ananias foi a mentira, mas a causa de sua morte é que ele permitiu que o inimigo lhe enchesse o coração (At 5:3). O que tem enchido o nosso coração? O inimigo se utiliza de eventos cotidianos para, por meio deles, perverter e encher de forma maligna o nosso coração. E não de uma hora para outra; ele enche de maneira paulatina. Um pouco a cada dia. É assim que começam as traições, as vinganças e as
falcatruas, por exemplo. Não permita que o inimigo encha seu coração. Não se engane, a consequência será uma só, a morte.
“E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito” (Ef 5:18). O inimigo e o Espírito Santo não dividem o mesmo coração. Só há uma maneira de termos o coração transformado: esvaziando-o do que é maligno e deixando-o encher pelo Espírito Santo de Deus. Ele enche, mas o mal precisa primeiro ser mandado embora. Como esvaziar nosso coração das influências malignas?
Resistindo. Ouvindo os conselhos certos. Mudando hábitos ruins. Quanto mais rápido você se esvaziar do que é mal, mais rápido Deus vai poder encher você!

~

Senhor, reconheço que o Evangelho é renúncia, é negar-se a si mesmo. Quero ser e viver como Tu queres que eu viva. Quero me entregar integralmente a Ti.

 

 

Jodson Gomes

Pastor Assembleia de Deus

X