CHAMADOS PARA FORA
19 de outubro de 2018
CONFIANÇA EM MEIO AO MEDO
19 de outubro de 2018

 

Mateus 3:11-17

O texto narra o batismo de Jesus. A função, dada por Deus a João Batista, era preparar o caminho para o Messias. Ele anunciava a mensagem e falava de arrependimento. Ao ouvir suas palavras, as pessoas as recebiam e, como sinal de que a palavra produzia nelas algo novo, elas vinham até ele. João as submergia na água e trazia de volta, simbolizando o arrependimento. Enquanto batizava, ele dizia “eu vos batizo com água, mas virá Aquele que vos batizará com o Espírito Santo e com fogo”. João usa duas vezes a palavra batismo com dois tempos verbais diferentes, no presente e no futuro.

No original em que este texto foi escrito, João usou duas palavras diferentes: “bapto” e “batso”. Elas tem a mesma raiz, mas significam coisas diferentes. Os estudiosos bíblicos conseguiram explicação pra essas duas palavras em um texto de Nicander, poeta grego e médico. Ele escreveu uma receita de picles há 200 anos a.C. Para alguém fazer picles naquela época, o pepino passava por dois processos: no primeiro, bapto, o pepino era mergulhado por um tempo em uma panela com água fervendo e depois era retirado. Ele ficava amolecido. No segundo processo, o batso, o pepino era colocado dentro de uma panela com vinho e ficava em conserva por um tempo; ao ser retirado, tornava-se picles. O sabor, o cheiro e a textura eram diferentes. A essência era a mesma, mas a partir do segundo mergulho, acontecia uma transformação.

João Batista estava fazendo a primeira fase, o bapto, batizando com água para arrependimento. As pessoas ficavam com o coração amolecido, conscientes dos seus pecados e certas de que precisavam de Deus, mas isso não era tudo. Mais do que água, João disse que elas precisavam de um segundo batismo, que não era feito por homens. Quando somos mergulhados nEle, acontece o batso. A pessoa, amolecida pelo Evangelho, quando mergulha em Cristo, deixa de ser o que era e passa a ser uma nova criatura. O sabor, o comportamento e a maneira de falar são diferentes. Coincidentemente, o primeiro milagre de Jesus foi transformar a água em vinho. Somente a água não transforma; o vinho novo, que é o Espírito Santo, modifica textura, cor, aspecto, jeito, expressão, andar, modifica tudo. João estava dizendo que esses dois processos nem sempre são instantâneos. Só há uma maneira de sermos mergulhados em Cristo para uma nova vida: reconhecê-Lo como Senhor. O ato de sermos submergidos na água do batismo, não pode ser apenas um compromisso com a igreja. Quando Ele é entronizado em nosso coração, Ele nos transforma de verdade. Muitas pessoas, que um dia vestiram roupas brancas, permitiram que se manchassem espiritualmente; pessoas que dão mau testemunho. Que o Espírito Santo opere em nós mudança de sabor. Que sejamos conhecidos como discípulos de Cristo, aqueles que são como ele é, que tem as mesmas propriedades espirituais do ponto de vista de conduta. Que o mundo veja em nós novas criaturas todos os dias.

Pai querido, quero Tua nova vida em mim. Que quem olhar pra mim veja que sou diferente em Cristo Jesus. Que eu seja submergido no Teu Espírito. Amém.

 

 

Jodson Gomes

Pastor Assembleia de Deus

X