Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo
12 de março de 2019
É PRECISO BUSCAR O EQUILÍBRIO
14 de março de 2019

 

I Samuel 3:19-21

Nesse capítulo, a Bíblia narra o início do ministério de Samuel. Chamado por Deus desde jovem, o seu ministério mostra frutos excelentes. A Bíblia diz que todo o território de Israel reconhecia que Samuel era confirmado profeta do Senhor. Foi juiz, sacerdote e profeta, e teve a graça de Deus de ungir dois reis de Israel, Saul e Davi. Convenhamos que todos nós gostaríamos que nossos filhos ou alguém de nossa igreja ou até nós mesmos fossemos parecidos com Samuel. Porém, isto não é fruto do acaso. O chamado de Deus para Samuel é inquestionável. Entretanto, o chamado, a confirmação e a estabilidade como profeta tem um preço a ser pago. Esse preço é pago de maneira muito singular. Samuel é resultado do investimento de três classes:

  1. Igreja: Samuel foi fruto de uma gestação em oração. Fruto de um voto de Ana que falava que quando tivesse um filho, entregaria ao Senhor. Ana entregou Samuel ao templo depois de o ter desmamado, com aproximadamente dois ou três anos de idade. Samuel é resultado da escolha de Deus e do templo ter cuidado dele através de Eli, homem idoso, mudando completamente sua rotina. O templo se adaptou para recebê-lo. Criança por natureza faz barulho, e muitas vezes a igreja não quer agitação. Todos já foram jovens e sabem que uma das características do jovem é a impetuosidade. Damos mais importância a apenas tradições do que a jovens, e muitas vezes perdemos profetas, pois não queremos nos adaptar aos jovens. Não confundamos pilares com decoração. Pilares são os mandamentos de Cristo, decoração é a tradição da igreja. A juventude não precisa de juízes, e sim de conselheiros. Eli o repreendeu três vezes, mas ele entendeu que Deus estava chamando a Samuel.
  2. Família: Ana o entregou para o templo. Entregar é diferente de abandonar. O templo deu para ele uma roupa. A igreja dava a ele o que vestir, mas a mãe também dava uma túnica. A família também precisa confeccionar túnicas para a juventude. Saber quais são as amizades, conhecer e cuidar de seus filhos. Túnica fala de cobertura. Você cobre seus filhos de oração? É preciso construir os valores em casa. A cobertura da igreja não substitui a cobertura da família.
  3. O próprio jovem: a igreja pode nos dar todos os espaços, os pais podem cobrir de orações e de investimentos. Porém, se os próprios jovens não quiserem, não adianta nada. É necessária uma escolha pessoal. Samuel poderia ter saído do templo a qualquer momento se quisesse. Ele foi entregue e decidiu permanecer. Querer ficar não é apenas fazer dos cultos uma rotina. É estar participando e se alimentando da Palavra e não decidir se corromper com as más influências de dentro do templo. Os filhos de Eli eram maus, mas ele não seguiu exemplos negativos. Nossa referência tem que ser os bons. Devemos considerar também a orientação dos mais velhos. Força sem direção nos leva a uma trajetória errada. Samuel ouviu Eli e assim ouviu a voz do Senhor. Ter a humildade para obedecer é fundamental. É preciso também considerar que Deus me chama enquanto jovem. Nessa passagem, Deus chamou Samuel enquanto menino. Não precisamos esperar chegar ao abismo para ouvir o chamado de Deus. Enquanto é tempo, vamos valorizar esse chamado para nós. Assim, Ele há de nos fazer profetas.

Texto escrito por : Jodson Gomes

Pastor da Assembleia de Deus Londrina

Adaptação: Luane Alves

X