Pr Jodson Gomes – Lógicas invertidas
1 de abril de 2019
Aprendendo com os erros de Saul
3 de abril de 2019

 

Lucas 7:36-47

Jesus transitava pelos meios sociais de uma maneira muito intensa. Nessa passagem, Ele estava visitando a casa de um fariseu, pois foi convidado para um jantar. As refeições da época eram feitas sentadas no chão em volta de um tablado de madeira. As mesas eram colocadas de uma forma que deixava um espaço no meio para que uma pessoa entrasse e servisse os convidados por entre as mesas. As cadeiras ficavam rente ao chão. As pessoas que comiam se reclinavam à mesa, colocavam uma almofada debaixo do cotovelo esquerdo e pegavam a comida com o braço direito. É por isso que a Bíblia diz que Jesus reclinou-se sobre a mesa. Então, assim que soube que Jesus estava jantando na casa do fariseu, uma mulher entrou segurando um vaso de alabastro com unguento. Ela foi até Jesus e, estando por detrás, chorou sobre os seus pés, beijando-os, jogando o óleo e enxugando com os seus cabelos. Jesus, sabendo dos pensamentos do fariseu, tomou a palavra e, contando uma história, ensinou uma lição ao fariseu.

A partir desses dois personagens, podemos fazer uma comparação sobre as maneiras diferentes que eles se relacionavam com Jesus:

Fariseu: deu um jantar. Algo formal e que tinha um protocolo. Ele vê a mulher como pecadora. Esperava de Jesus apenas a revelação. Ele está comendo junto com Jesus, está no mesmo nível. Ofertar um jantar é algo que ele também participaria.

Mulher: deu uma oferta. Algo além do formal e que quebrava o protocolo. Ela não se importa com o que o fariseu vai pensar sobre ela, está lá apenas para ver Jesus. Esperava de Jesus o perdão dos seus pecados. Está aos pés de Jesus, não está no mesmo nível. Ela não participou de sua oferta, apenas a derramou sobre os pés de Jesus.

  1. Oferta: Adoração não pode ser dividida. Adoração é algo total. A mulher não foi convidada, mas entrou, entregou sua oferta e fez o seu melhor. Jesus apontou para o fariseu o que faltou em sua oferta: envolvimento e emoção.
  2. Comportamento: Devemos nos preocupar mais com a nossa relação com Deus, quebrando protocolos, indo além do formal.
  3. Visão do Outro: Devemos tolerar a maneira diferente da adoração do nosso próximo. Na mesma sala cabe alguém na mesa e alguém nos pés. Deus é multiforme e permite a cada um de nós adorarmos de maneira diferente.
  4. Expectativa: não devemos esperar por revelações, ou por algo que Ele vai dar para nós. Devemos nos importar com o que podemos levar para Ele.
  5. Envolvimento: Ele espera entrega, unção, despreocupação com a nossa imagem.

O que esperamos quando vamos à casa do Senhor: sair com o novo ou sair novo? Que tenhamos apenas um alvo: Jesus. Se o nome dele for glorificado, exaltado e se Ele for louvado, a nossa meta foi atingida e a glória dele vai se manifestar em nós.

 

Oração: “Senhor, que a partir de hoje eu possa entregar a melhor oferta de adoração apenas para Ti, não olhando para minha autoimagem. Que possamos quebrar regras e ir além do protocolo. Que não olhemos para o que o outro irá pensar ou dizer, mas que eu apenas olhe para Ti.”

 

 

JODSON GOMES

PASTOR DA ASSEMBLÉIA DE DEUS LONDRINA

X